Happily Ever After?| Amanda Couto

Padrão

Oi gente! Tudo bem?
O post de hoje vai ser um texto anônimo que eu vi no Facebook e achei muito lindo. Espero que gostem!

“Sabe aquele dia que você está com alguém, e você se sente feliz, apaixonado e acredita estar com sua alma gêmea?

Então, pare de acreditar. Não é sua alma gêmea. Provavelmente é a pessoa que irá quebrar seu coração em pedacinhos.

Ah, e também não acredite que essa pessoa está apaixonada por você. Ela não está.

Deixe-me lhe contar uma história está bem?

Havia um casal, dois jovens, eles eram felizes, ricos, nunca se preocuparam com nada. Os dois nunca haviam discutido, eram o típico casal perfeito.

A garota tinha certeza de que o amava. E estava convencida de que ele a amava também. Ela confiava nele para qualquer coisa. Creio que este deve ter sido seu pior erro.

Ao acordar após uma verdadeira noite de amor, a garota estranhou duas coisas. A primeira foi o fato de seu amor não estar no quarto com ela, a segunda foi o silêncio da casa. Ela ficou muito desconfiada, afinal, aquela casa nunca ficava em silêncio.

Ao descer as escadas, ela se deparou com as respostas para suas perguntas. Lágrimas tomaram conta de seus olhos e seu rosto, suas pernas ficaram bambas, o chão parecia se desfalecer abaixo de seus pés e ela não conseguia acreditar no que via.

Todos aqueles que ela amava estavam caídos no chão. Seus corpos sem vida formavam poças de sangue por todo o piso. Apenas um estava de pé, olhando para ela e sentindo um enorme aperto no coração. Seu namorado tinha uma enorme faca em mãos, cheia de sangue, sangue de seus familiares.

– Pode ter sido tarde demais, mas percebi que te amo, me desculpe por acabar com sua vida. – o garoto disse a olhando com arrependimento no olhar, arrependimento este que logo se transformou em vazio, quando ele fez a faca atravessar seu pescoço.

Após esse dia, a garota simplesmente perdeu seu rumo, nada na vida lhe fazia mais sentido, e onde ela terminou seus dias? Infelizmente, em uma clínica psiquiatra, em uma depressão profunda.Mas antes de ir para a clínica, a garota disse uma coisa que hoje percebo ser verdade:

– Não entrei em depressão agora e nem tentei suicídio agora. Isso não começou agora. Começou quando me apaixonei. Então, um conselho para essas pessoas que querem viver muito: nunca se apaixonem. O amor é a droga mais perigosa que existe.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s